Gregos

0002778_parthenon-39-wall-decals-monument-silhouettes

Em grego clássico, Hedra é aquele objeto tão importante para nossas leituras: um assento, uma cadeira, o lugar onde nos sentamos para ler com calma.


Sendo uma editora assim inspirada pela antiga Grécia, nada mais esperado do que uma seção de literatura greco-romana bem construída.

Thumb_a-conjuracao-de-catilina

A conjuração de Catilina

Salústio

A conjuração de Catilina relata o conjunto de eventos que constituíram o malogrado plano de Lúcio Sérgio Catilina (108 - 62) para se assenhorear do poder em Roma, no ano do consulado de Cícero, 63. Catilina, de família patrícia romana, provavelmente pretor em 68, governador da província da África no intervalo de 67 a 66, tentara por duas vezes eleger-se cônsul, sem sucesso (64 - 63).

Thumb_o-destino-do-erudito

O destino do erudito

Johann Fichte

Os intelectuais ainda existem? Se existem, para que servem? A resposta do filósofo alemão Johann Fichte  a estas perguntas, nas famosas conferências reunidas em O destino do erudito, não deixa de ser surpreendente, inclusive por sua contemporaneidade.

Thumb_trabalhos-e-os-dias

Trabalhos e os dias

Hesíodo

Trabalhos e os dias é um poema épico de 828 versos em que são contados alguns dos mitos gregos mais conhecidos até hoje, como o de Prometeu e o de Pandora. Este poema é voltado para a condição dos mortais, explicitando suas necessidades e limitações, com foco no trabalho agrícola baseado nas estações do ano. Edição bilíngue.

Thumb_lira-grega-antologia-de-poesia-arcaica

Lira grega — antologia de poesia arcaica

Giuliana Ragusa

Lira grega reúne em traduções diretas, inéditas, os nove mais importantes poetas gregos do Período Arcaico (sécs. IX-VI a. C.), que à maneira dos poetas provençais e dos atuais cancionistas, escreviam não para o papel (aliás, ainda inexistente), mas para a voz − seus poemas eram, na verdade, canções.

Thumb_politeismos-as-religioes-do-mundo-antigo

Politeísmos: as religiões do mundo antigo

Paolo Scarpi

Uma introdução à história das religiões não pode ignorar o problema da definição da religião. Se o fizesse, ficaria incompleta e privada do arcabouço teórico necessário para assegurar a unidade interna da coleção, confiada a vários especialistas de diversos setores.

Esse volume se propõe a fazer uma breve apresentação do percurso que leva à constituição da história das religiões como disciplina e prática intelectual, apresentando ao leitor não-especializado o desenvolvimento do debate teórico sobre tais pressupostos. Se destacam nomes de intelectuais como o de Max Müller, Taylor, Frazer, Durkheim, van de Leeuw, Mircea Eliade e Levi-Strauss, além dos pesquisadores italianos ainda pouco conhecidos do público brasileiro, tais como Petazzoni, Brelich e de Martino.

Thumb_primeiro-livro-dos-amores

Primeiro livro dos amores

Ovídio

Trata-se da primeira parte da obra de juventude de Ovídio, Amores, que, como o próprio autor indica no poema de abertura, sofreu edição tardia e passou a contar apenas com três livros. Estes poemas, do poeta que escreveu também Metamorfoses, são próprios da elegia erótica romana e trazem em geral a voz de um poeta jovem como eu-lírico.

Thumb_a-nostalgica-e-outros-contos

A nostálgica e outros contos

Aléxandros Papadiamántis

Nove dos mais representativos textos, todos inéditos em português, da produção madura de Papadiamántis, escritor tido por boa parte da crítica atual como um dos maiores e mais originais prosadores da literatura grega moderna. Erotização da natureza, espiritualidade e desejo frustrado, superstições e costumes populares são temas recorrentes nestas narrativas, que têm, às vezes, um claro tom autobiográfico.

Thumb_lisistrata

Lisístrata

Aristófanes

Uma obra prima do drama universal, esta peça foi representada pela primeira vez em 411 a.C., em Atenas, e tem como mote principal uma hilária greve de sexo feita pelas mulheres gregas. Elas contestavam a então vigente Guerra do Peloponeso. No entanto, não se trata de uma obra datada: o modo como Aristófanes dá voz e cena à singular manifestação faz da peça uma das mais encenadas no mundo contemporâneo.

Thumb_as-bacantes

As bacantes

Eurípides

Representada pela primeira vez em 405 a.C., esta é uma das mais célebres tragédias de Eurípides, o último dos três grandes tragediógrafos gregos. Além de sua excelência artística, trata-se de um dos principais testemunhos antigos sobre o menadismo, religião de origem oriental que está presente na Grécia desde o período micênico.

Thumb_amores-e-outras-imagens

Amores e outras imagens

Filóstrato

Amores e outras imagens, de Filóstrato, o Velho, traz descrições de quadros da Antiguidade no contexto de um diálogo entre um mestre e um menino no qual se procura mostrar o melhor modo de se apreciar uma obra de arte. Título integrante da Coleção Bienal.