Em Éter, António Cabrita reúne sete narrativas urbanas, que se localizam nos dois países em que tem alternado a sua vida, Portugal e Moçambique. São sete histórias com distintas estratégias narrativas, tal como são variados os seus temas, sendo, contudo, transversal uma idêntica tensão entre a memória pessoal e o esquecimento coletivo, bem como a escrita peculiar do autor de A Maldição de Ondina. Os seus diferentes narradores atuam na fronteira entre a verdade e a verosimilhança, adotando o jogo perigoso de fazer coincidir drama pessoal e memória coletiva.

Sobre esta obra disse José Mário Silva no Expresso: "Quem conheça as obras mais recentes de António Cabrita, nomeadamente esse belo romance que é A Maldição de Ondina (2013, finalista do Telecom), não se espantará com as alturas a que consegue subir a sua escrita, essa mistura de lirismo e galhardia, devaneio e precisão, criatividade à solta e esmero oficinal. Ainda assim parece que o antigo jornalista escava cada vez mais fundo na jazida que inventou para si mesmo, a prosa está cada vez mais livre, mais sensorial, mais sensual, mais jazzística (próxima dos solos de Miles Davis, tantas vezes evocado ao longo deste volume)".


António Cabrita

António Cabrita é um ex-jornalista (nos dezesseis anos finais da sua carreira de jornalista esteve ligado, como crítico de cinema e de livros, ao semanário Expresso, de Lisboa) convertido agora em professor universitário, em Maputo/Moçambique, e escritor. Tem livros publicados em Portugal, Moçambique e Brasil. Sendo um poeta referenciado da geração de oitenta, na última década dedicou-se prioritariamente à ficção (contos e romance), tendo sido os seus livros sistematicamente finalistas de alguns dos mais prestigiados prêmios do espaço da lusofonia. A obra Éter foi finalista (short list) do Prêmio Pen Club, em Portugal, em Janeiro de 2017.

Ficha técnica

Número de páginas
154
ISBN
9788595820258
Encadernação
Brochura
Peso
0.255 kg
Ano de lançamento
2018

Compartilhe