O paraense Lindolfo Marques de Mesquita, ou Zé Vicente, poeta cordelista emérito e jornalista vocacionado, comportava-se em seus folhetos como ativista político. Engajado no "baratismo", expressão política local desvinculada da classe dominante, criticou os interesses econômicos externos que, a partir da Segunda Guerra Mundial, submeteu o mundo à hegemonia capitalista. Sua contribuição mostra que Zé Vicente foi um dos poetas mais vigorosos, criativos e originais da literatura popular brasileira.

<<Sobre a literatura de cordel>> A literatura popular em verso passou por diversas fases de incompreensão e vicissitudes no passado. Ao contrário de outros países, como o México e a Argentina, onde esse tipo de produção literária é normalmente aceita e incluída nos estudos oficiais de literatura.

Apesar da maciça bibliografia crítica e da vasta produção de folhetos (mais de 30 mil folhetos de 2 mil autores classificados), a literatura de cordel – cujo início remonta ao fim do século XIX – continua ainda em boa parte desconhecida do grande público, principalmente por causa da distribuição efêmera dos folhetos.

Ficha técnica

Número de páginas
132
ISBN
9788587328113
Encadernação
Brochura
Peso
0.134 kg
Ano de lançamento
2003

Compartilhe