Cordel - Oliveira de Panelas

Oliveira de Panelas

Oliveira de Panelas nunca terminou seus estudos primários: sua escola foram as feiras e as estradas do interior pernambucano, onde, desde os 12 anos, como “estagiário” dos mestres da viola, aprendia a cantar e compor sextilhas. Emigrou para São Paulo onde começou trabalhando como pedreiro até que seus talentos fossem revelados. Virou uma figura popular nas emissoras de rádio e TV, cantou para o papa e para presidentes, até em Cuba, Portugal e Paris. Mas este sucesso se deve a sua maestria e fidelidade à arte do cordel que domina como ninguém, e que exerce com criatividade, à sua notável erudição de autodidata, e a sua bela e forte voz que lhe valeu o apelido de “O Pavarotti dos sertões”.

<<Sobre a literatura de cordel>> A literatura popular em verso passou por diversas fases de incompreensão e vicissitudes no passado. Ao contrário de outros países, como o México e a Argentina, onde esse tipo de produção literária é normalmente aceita e incluída nos estudos oficiais de literatura.

Apesar da maciça bibliografia crítica e da vasta produção de folhetos (mais de 30 mil folhetos de 2 mil autores classificados), a literatura de cordel – cujo início remonta ao fim do século XIX – continua ainda em boa parte desconhecida do grande público, principalmente por causa da distribuição efêmera dos folhetos.

Ficha técnica

Número de páginas
158
ISBN
9788587328427
Encadernação
Brochura
Peso
0.08 kg
Ano de lançamento
2001

Compartilhe