Cordel - Minelvino Francisco Silva

Minelvino Francisco Silva

Minelvino Francisco Silva nasceu na Fazenda Olhos D'Água, no município de Mundo Novo, Bahia, em 29 de novembro de 1926. Criado em Jacobina, trabalhou como garimpeiro de ouro, diamante e cristal, o que parece ter inspirado no menino sertanejo uma forma especial de recepção estética, mais tarde conduzida para os ofícios artísticos em que foi mestre.

O contato com pedras preciosas, de brilhos e formatos diferentes, levou-o a vislumbrar um mundo encantado, quase mágico, além de lhe despertar e desenvolver a sensibilidade e o inato senso estético.


Tem gente que diz que alguém

Leva a vida facilmente

Sem precisar trabalhar

Tudo chega de repente,

E tem uma vida boa

Pois acha que tudo é à toa

Em uma vida excelente.


Para quem pensar assim

Como exemplo eu vou contar

A história dum preguiçoso

Que vivia a aventurar

Que alguém desse um socorro

Quis até virar cachorro

A fim de não trabalhar.


<<Sobre a literatura de cordel>> A literatura popular em verso passou por diversas fases de incompreensão e vicissitudes no passado. Ao contrário de outros países, como o México e a Argentina, onde esse tipo de produção literária é normalmente aceita e incluída nos estudos oficiais de literatura.

Apesar da maciça bibliografia crítica e da vasta produção de folhetos (mais de 30 mil folhetos de 2 mil autores classificados), a literatura de cordel – cujo início remonta ao fim do século XIX – continua ainda em boa parte desconhecida do grande público, principalmente por causa da distribuição efêmera dos folhetos.

Ficha técnica

Número de páginas
240
ISBN
9788587328205
Encadernação
Brochura
Peso
0.214 kg
Ano de lançamento
2005

Compartilhe