3 resultados para “Alexandre Barbosa de Souza”

Thumb_anarquismo-critica-e-autocritica

Anarquismo – Crítica e Autocrítica

A edição reúne “Anarquismo social ou anarquismo de estilo de vida: um abismo intransponível” e “A esquerda que se foi: uma reflexão pessoal”. O primeiro texto do livro, de 1995, insere-se dentro da polêmica em que Bookchin teve destacado papel, por tentar diferenciar dois projetos que haviam se colocado dentro do anarquismo: um individualista e outro socialista. O segundo texto, de 1991, avalia a atual esquerda, que estaria em processo de degeneração.

Thumb_eu-conheci-benny-more

Eu conheci Benny Moré

"Personalidade original, Benny Moré foi a culminação de todo um caminho percorrido pela arte musical em Cuba. Sua voz percorria todo o registro vocal, tonalidades e tempos, desdobrando-se em frases e gritos, acompanhado de passos dançantes, criando uma atmosfera envolvente. Passava da interpretação de uma canção suave a um guaguancó, quase sem se notar.

Thumb_autobiografia-de-um-super-heroi

Autobiografia de um super-herói

Alexandre Barbosa de Souza

“Acho que todo leitor curioso vai se deliciar, como eu, com os capítulos curtos (quase contos mínimos) que narram os ritos iniciáticos do jovem artista em formação: os livros, as namoradas, o primeiro beijo e os porres adolescentes (e os vômitos por eles provocados), o “período místico” (visitas ao cemitério, à noite, meditação com incenso...), o estágio como ajudante num sebo (“...eu ficava lá tomando café e lendo as coisas mais variadas que apareciam”), a experiência vital como surfista, narrada de dentro de uma onda-tudo (“Olhar lá de cima a parede móvel e aproveitar as coisas que vão acontecendo sem que você possa impedir”), os amigos, a música (o blues), as incursões pela filosofia, a faculdade de medicina abandonada logo no primeiro ano (“Li a Odisséia inteira numa escada meio isolada de um anfiteatro. ”), as aulas de judô (“Eu gostava da faixa branca. ”), a viagem à Cuba que lhe valeu um casamento, o emprego numa editora... Enfim, a vida como ela é para qualquer super-herói literário que se preze.” - Reinaldo Moraes.