De acordo com António Cabrita, em A loucura branca, Jaime Rocha “apresenta-nos um texto que mergulha no cotidiano e no mundo trivial com uma demência quase surreal, cruzando Kafka com os filmes de David Lynch. Um misto de mistério, sedução e humor sutil.” Para Miguel Real, “A capacidade de descrever situações claustrofóbicas de um modo estético, não recorrendo a símbolos narrativos neorromânticos ou góticos, utilizando exclusivamente um léxico de referentes semânticos realistas, identifica e singulariza a obra romanesca de Jaime Rocha no horizonte do romance português contemporâneo.”

Tenho aqui um papel com uma frase que quero que ouças, parece de um poeta, disse ela. Era uma frase que falava da loucura. Vítor tentou tirar os óculos, mas não teve força para levantar os braços, abriu a boca mas os seus lábios pareciam duas pedras fechadas. O objeto deslocara-se para cima, contraindo-lhe o peito.


Jaime Rocha

Jaime Rocha nasceu em 1949 na vila de Nazaré, em Portugal. Estudou na Faculdade de Letras de Lisboa. Viveu em França nos últimos anos da ditadura portuguesa. Publica desde 1970, poesia, prosa e teatro. É autor de cerca de uma trintena de livros e recebeu alguns prêmios literários ao longo dos anos. Os seus mais recentes livros editados são Necrophilia e Preparação para a Noite, poesia; O Regresso de Ortov, teatro; e Rapariga Sem Carne e Escola de Náufragos, romance, este último finalista dos Prêmios Oceanos e Correntes D’Escritas.

Ficha técnica

Número de páginas
76
ISBN
9788595820296
Encadernação
Brochura
Peso
0.13 kg
Ano de lançamento
2018

Compartilhe