A carteira de meu tio

Joaquim Manuel de Macedo

Publicada em 1855, bem depois e em tom muito diferente de A moreninha, esta obra é uma sátira que data da entrada de Macedo no núcleo político do Segundo Império. Em uma clara dissonância com sua novelística mais sentimental, Macedo, através da irônica figura do “sobrinho de seu tio”, se revela um fiel observador e cáustico crítico da corrupção e da impunidade.

Desejoso de ingressar na carreira política, o sobrinho é obrigado pelo tio a empreender uma viagem pela Província do Rio de Janeiro para tomar conhecimento da realidade do país, e, durante a viagem, os problemas sociais vêm à tona a cada passo. Com tipos alegóricos como Paciência, representante da esperançosa e pacífica subordinação dos pobres, e Constante, fiel defensor do governo, o livro expõe, através da sátira, um cenário grotesco e ridículo, revelando

uma outra faceta romântica, menos idealizada e mais presa ao mundo histórico e suas regras.

Ficha técnica

Número de páginas
184
ISBN
9788577151684
Encadernação
Brochura
Peso
0.18 kg
Ano de lançamento
2010

Compartilhe