Teatro e poesia

Thumb_trabalhos-e-os-dias

Trabalhos e os dias

Hesíodo

Trabalhos e os dias é um poema épico de 828 versos em que são contados alguns dos mitos gregos mais conhecidos até hoje, como o de Prometeu e o de Pandora. Este poema é voltado para a condição dos mortais, explicitando suas necessidades e limitações, com foco no trabalho agrícola baseado nas estações do ano. Edição bilíngue.

Thumb_a-vida-e-sonho

A vida é sonho

Calderón de la Barca

Uma das mais conhecidas e encenadas comédias de Calderón de la Barca, que se vale dos recursos da farsa para representar a questão da vaidade do ser humano. A finalidade moral que assume em seu tempo é ensinar a lição de que é vã a vida humana sobre a terra, não passando de vaidade e aflição do espírito aqueles bens que aos homens pareçam honra, glória, riqueza ou distinção.

Thumb_balada-dos-enforcados-e-outros-poemas

Balada dos enforcados e outros poemas

François Villon

Além da balada que lhe dá nome, e é um dos poemas mais célebres da língua francesa, esta edição reúne excertos de Le lais (O legado, de 1457), obra de juventude, e O Testamento (1461-1462), paródia de um documento jurídico em que retoma tópicas do tempo fugaz e da angústia diante da morte, e incluem poemas ora tristes e desesperados, ora de humor sutil.

Thumb_a-voz-dos-botequins-e-outros-poemas

A voz dos botequins e outros poemas

Paul Verlaine

Os poemas de Verlaine, parte da “trindade sagrada do simbolismo”, aqui reunidos foram selecionados e traduzidos pelo poeta Guilherme de Almeida, um dos mentores do movimento modernista, para integrar o volume Paralelamente a Paul Verlaine, lançado por ele em 1944. Edição bilíngue.

Thumb_teatro-do-extase

Teatro do êxtase

Fernando Pessoa

Esta edição reúne cinco peças de Fernando Pessoa, concebidas como poemas dramáticos e destinadas mais à leitura do que à encenação. As obras aqui reunidas são provavelmente as mais acabadas dentre os muitos fragmentos deixados por seu autor, e apresentam como eixo comum a concepção pessoana de “êxtase'”.

Thumb_fabula-de-polifemo-e-galateia-e-outros-poemas

Fábula de Polifemo e Galatéia e outros poemas

Góngora

Esta fábula, de 1612, narra o episódio mitológico descrito no livro XIII das Metamorfoses de Ovídio: os amores do cíclope Polifemo pela ninfa Galatéia. A obra deste importante poeta da poesia aguda do Siglo de Oro se vale de complexos recursos estilísticos, como o uso de sintaxe e vocabulário latinos, elaboradas figuras de linguagem, e uma pletora de alusões à mitologia clássica.

Thumb_poemas

Poemas

Lord Byron

Poemas reúne parte das composições mais significativas de Byron, amparadas de introdução e notas elucidativas de Péricles Eugênio da Silva Ramos. O critério de escolha dos poemas líricos aqui recolhidos seguiu as mais abalizadas antologias byronianas, acolhendo também aqueles poemas de predileção de nossos autores românticos.

Thumb_romanceiro-cigano

Romanceiro cigano

Federico García Lorca

Publicado em 1928, este livro, que aqui se apresenta em edição bilíngue, contém dezoito poemas que têm como tema aspectos da cultura dos ciganos da Andaluzia e é considerado um dos pontos altos da obra de García Lorca, como também foi o que obteve a mais ampla acolhida do público.

Thumb_primeiro-livro-dos-amores

Primeiro livro dos amores

Ovídio

Trata-se da primeira parte da obra de juventude de Ovídio, Amores, que, como o próprio autor indica no poema de abertura, sofreu edição tardia e passou a contar apenas com três livros. Estes poemas, do poeta que escreveu também Metamorfoses, são próprios da elegia erótica romana e trazem em geral a voz de um poeta jovem como eu-lírico.

Thumb_poesia-galega-das-origens-a-guerra-civil

Poesia galega – das origens à guerra civil

Reunião do que há de mais representativos na poesia dos principais períodos históricos da literatura galega, desde seus primórdios como manifestação literária, com as cantigas galego-portuguesas, até a Guerra Civil Espanhola, encerrada em 1939. Compreende ciclos literários como o Período Medieval, os Séculos Escuros, o Pré-ressurgimento, o Ressurgimento, o Período Intersecular e a literatura galega de pré-guerra do século XX.

Thumb_poesia-espanhola-das-origens-a-guerra-civil

Poesia espanhola – das origens à Guerra civil

Reunião do que há de mais representativo nos principais períodos históricos da literatura espanhola, desde seus primórdios como manifestação literária até a Guerra Civil Espanhola, encerrada em 1939. Compreende ciclos literários como a Literatura Medieval, os Séculos de Ouro, a Ilustração, o Romantismo, a Geração de 98 e a Geração de 27.

Thumb_poesia-catala-das-origens-a-guerra-civil

Poesia catalã – das origens à Guerra civil

Esta antologia bilíngue reúne poemas de autores representativos dos principais períodos históricos da literatura catalã, desde seus primórdios como manifestação literária até a Guerra Civil Espanhola, encerrada em 1939. Compreende ciclos literários como a Poesia trovadoresca, o Humanismo, o Século de Ouro Valenciano, a Decadência, o Romantismo, o Renascer e os movimentos de vanguarda.

Thumb_poesia-basca-das-origens-a-guerra-civil

Poesia basca – das origens à Guerra Civil

Esta antologia bilíngue reúne poemas de autores representativos dos principais períodos históricos da literatura basca, desde seus primórdios como manifestação literária, com a poesia basca de tradição oral, até a Guerra Civil Espanhola, encerrada em 1939. Compreende ciclos literários como a Literatura Inicial, o Renascimento Basco, os Jogos Florais e a Geração da República.

Thumb_poemas-da-cabana-montanhesa

Poemas da cabana montanhesa

Saigyō

Esta é a primeira antologia em português de Saigyō, monge budista e poeta que viveu no século XII, e reúne 135 poemas. A antologia original continha 1571 composições. Todos os poemas são tanka, forma poética tradicional japonesa composta por cinco versos que totalizam 31 sílabas. Os temas são contemplativos em sua maior parte, e foram compostos durante suas viagens pelos lugares sagrados do Japão.

Thumb_poemas-completos-de-alberto-caeiro

Poemas completos de Alberto Caeiro

Fernando Pessoa

Alberto Caeiro, segundo Fernando Pessoa, inaugura a plêiade de personalidades criadoras, designadas pelo poeta como heterônimos. Ele teria “surgido” em 8 de março de 1914, dia que Pessoa considerou “triunfal” e celebrado pelo relato de um fluxo criativo ininterrupto, capaz de dar forma a tantos poemas notáveis, seja por sua qualidade inerente, seja por sua pluralidade semântica e estilística.

Thumb_pequeno-burgueses

Pequeno-burgueses

Maksim Górki

Primeira peça de Górki e um sucesso imediato (apesar de ser sua estreia na dramaturgia, teve sua tiragem esgotada em quinze dias). Trata-se de um “drama familiar” que, ao recriar o cotidiano de uma típica família russa do começo do século XX, examina toda uma cosmovisão social, a qual ele classifica como a “mentalidade pequeno-burguesa”.

Thumb_a-pele-do-lobo-e-outras-pecas

A pele do lobo e outras peças

Artur Azevedo

Textos curtos de Artur Azevedo, nosso primeiro grande homem de teatro, cuja temática gira em torno de costumes nacionais. Amor por anexins, de 1870, foi a primeira peça do autor. A pele do lobo, de 1875, faz uma sátira divertida ao sistema de policiamento do Império. O Oráculo, de 1907, é um texto que dialoga com a tradição da comédia.

Thumb_jerusalem

Jerusalém

William Blake

Obra-prima espiritual de William Blake, Jerusalém é a realização mais grandiosa desse brilhante visionário, seu último poema épico profético, a culminação de seu gênio. Produzido entre 1804 e 1820, este poema iconográfico consiste de cem chapas ilustradas e gravadas em relevo. Esta edição, que contém apenas texto, tem introdução de David Whitmarsh, especialista da obra do autor.

Thumb_ode-sobre-a-melancolia-e-outros-poemas

Ode sobre a melancolia e outros poemas

John Keats

Esta edição bilíngue é uma mostra das obras mais relevantes do poeta romântico John Keats, aqui traduzidas e anotadas pelo poeta Péricles Eugênio da Silva Ramos. Estão contidas no livro as seis odes publicadas em 1819 e que são consideradas o auge da obra de John Keats, além de 20 sonetos e até trechos de duas de suas grandes obras: “Hiperíon” e Endimião.

Thumb_ode-ao-vento-oeste-e-outros-poemas

Ode ao Vento Oeste e outros poemas

P.B. Shelley

Esta edição é uma mostra expressiva da obra do poeta romântico inglês de P.B. Shelley, que inovou na poesia ao empregar uma sucessão de imagens rápidas e ao mesmo tempo vagas e ilusórias. Estão contidos aqui alguns de seus textos mais célebres, como “À uma cotovia”, o drama lírico Hellas, a peça Prometeu libertado e o poema elegíaco por ocasião da morte de John Keats, todos publicados entre 1820 e 1821..