Anarcos de bolso

Thumb_revolucao-e-liberdade-cartas-de-1845-a-1875

Revolução e liberdade – Cartas de 1845 a 1875

Mikhail Bakunin

Esta compilação de cartas de Bakunin reúne trinta correspondências escritas entre 1845 e 1875. Nelas, são retratados aspectos pessoais e políticos de sua vida, a relação com a família, suas posições sobre a questão eslava, as prisões, o exílio e a fuga da Sibéria, as concepções sobre a revolução social, as posições programáticas, as relações com Marx e muito mais.

Thumb_o-principio-do-estado-e-outros-ensaios

O princípio do Estado e outros ensaios

Mikhail Bakunin

A edição apresenta três importantes textos de Bakunin, fundador do sindicalismo revolucionário e o expoente máximo do anarquismo, escritos em um período de grande efervescência revolucionária, com a constituição de sociedades operárias nas principais cidades francesas. Bakunin combate vigorosamente a ideia e o princípio estatistas, denunciando ao mesmo tempo as tentativas de reforma burguesa e ataca a religião.

Thumb_o-principio-anarquista-e-outros-ensaios

O princípio anarquista e outros ensaios

Piotr Alekseievitch Kropotkin

Além do artigo que intitula a presente edição, publicado em 1913, a edição abrange os textos Fatalidade da revolução (sem data), A anarquia na evolução socialista, conferência de 1887, A ação anarquista na revolução, de 1914, e Comunismo e anarquia, de 1903. Neles, Kropotkin discute as principais dificuldades enfrentadas pelos movimentos socialistas da virada do século XIX, como a aparente desunião e discordâncias teóricas, os métodos de ação violentos e muito mais.

Thumb_entre-camponeses

Entre camponeses

Errico Malatesta

Entre camponeses, de 1883, é uma obra didática destinada ao trabalhador rural como agente legítimo da revolução e trata dos principais fundamentos que deveriam capacitar os revolucionários do campo em sua luta local, e portanto federativa. Já Período eleitoral, de 1897, texto também presente nesta edição, discorre sobre os aspectos da tática abstencionista dos libertários, e contra a participação parlamentar, partidária e representativa proposta pela social-democracia.

Thumb_historia-da-anarquia-das-origens-ao-anarco-comunismo

História da anarquia – das origens ao anarco-comunismo

Max Nettlau

Nettlau é considerado o primeiro e talvez o maior historiador do anarquismo. O presente livro, escrito originalmente em alemão, é fruto de sua dedicação por décadas à história do movimento e foi publicado em três volumes entre 1925 e 1931. A obra é parte da Série Estudos Libertários, que reúne títulos, em sua maioria inéditos em português, dos expoentes da corrente libertária do socialismo.

Thumb_escritos-revolucionarios

Escritos revolucionários

Errico Malatesta

A edição reúne alguns dos principais textos de Malatesta, um dos mais ativos e influentes anarquistas. Os artigos evidenciam os mais recorrentes aspectos da construção do pensamento malatestiano, abordando também a importância da vontade, da tática, do combate ao autoritarismo dentro e fora do socialismo, bem como a luta política fora do âmbito da representação parlamentar.

Thumb_dialogo-imaginario-entre-marx-e-bakunin

Diálogo imaginário entre Marx e Bakunin

Maurice Cranston

Escrito, em 1962, foi primeiramente um roteiro para a BBC de Londres, quando o filósofo e escritor inglês imaginou um diálogo entre dois homens que dominaram sua época no plano social. Aqui, o autor reconstituiu, a partir das teses particulares expressas nas obras respectivas, uma controvérsia verossímil, que revela uma erudição extraordinária. Encontra-se, neste volume, um debate sobre um tema atual: devemos confiar na liberdade? Ou então, ao contrário, a autoridade é indispensável? 

Thumb_anarquia-pela-educacao

Anarquia pela educação

Élisée Reclus

Publicados entre 1879 e 1901, os textos tratam das concepções de Reclus acerca da doutrina anarquista, que são base para suas posições relacionadas a diferentes assuntos, todos com a educação como pano de fundo. O livro é composto por sete artigos: “A anarquia”, “Por que somos anarquistas?”, “A revolução”, “A anarquia e a igreja”, “Algumas palavras de história”, “A meu irmão camponês” e “A pena de morte”.